Cloud, On-Premises ou Híbrido? A importância de Integrar e gerenciar de forma segura aplicações e dados

Com o avanço tecnológico dos últimos anos, cada vez mais as empresas precisam se adaptar para manter-se bem atualizadas na acirrada briga por fatias do mercado. Dentre os  desafios diários estão:

– Manutenção dos custos estáveis;
– A questão da segurança e
– O  controle das informações

Diante deste cenário e devido aos altos custos dos equipamentos de tecnologia necessários para montar um data center próprio, manutenção de licenças, hardware, e contratação de profissionais especializados é cada vez mais importante integrar e gerenciar sistemas.

 

Para Maurício Fonseca, diretor de tecnologia e projetos CTO da Ewave, as empresas estão buscando alternativas para dar maior atenção às suas atividades fim, ou seja, dar maior enfoque aos serviços pelas quais foram criadas, assim, transferindo a responsabilidade de TI para empresas especializadas: “Está cada vez mais comum a terceirização da infraestrutura, as aplicações  ou base de dados como IaaS Infrastructure“.

Fonseca explica que toda esta terceirização só é possível através da computação em nuvem, mais conhecida como Cloud Computing. Essa tendência está em processo de evolução devido ao movimento adaptativo que as empresas estão para alcançar a melhor rentabilidade e redução dos custos operacionais para se manterem vivas e competitivas no mercado.

 

Modelos para cada negócio

Existem três modelos de nuvem: pública, privada e híbrida. Cada uma foi criada para atender às respectivas necessidades de cada empresa.

Nuvem Pública: serviços compartilhados para outras corporações, e segregação de acessos. Neste cenário, a empresa contratada é responsável por proteger os dados hospedados, manutenção de hardware e software, e o cliente apenas paga pelo serviço hardware e software que utilizar, podendo ser a opção mais barata.

Nuvem Privada: serviços privados, uma opção mais personalizada e construída sob medida para atender as características daquela determinada empresa que não pode suportar essa infraestrutura dentro das suas dependências por necessidade, porém precisam que façam parte da mesma rede e, autonomia de controle pela sua equipe interna de TI, possuindo total controle sobre os dados e informações.

Nuvem Híbrida: como o próprio nome descreve, é uma opção que busca atender ambos os modelos descritos acima equilibrando os gastos operacionais, determinando o que pode estar ou não em um ambiente público e/ou privado.

“Outra opção seria o modelo On-Premises utilizada por empresas com grande espaço físico para manter uma infraestrutura de data center, como instalações seguras, manutenção rotineira como profissionais especializados, além de disponibilidade de uma grande quantia de investimento para hardware e software.” completa Maurício Fonseca.  

Independente da escolha, todos os modelos citados atendem aos níveis aceitáveis de segurança e a importância de integrar e gerenciar estes modelos é poder ter maior escalabilidade operacional acompanhando o crescimento ou redução das empresas, se adequando ao cenário atual, com rapidez, sem perda de informação, e proporcionando um baixo custo operacional.

Foto: Flickr/Blue Coat Photos
Fonte: KAKOI Comunicação

Deixe um comentário

string(0) "" string(0) "" string(0) "" string(0) "" string(0) "" string(0) ""